REDES SOCIAIS
BUSCA DE NOTÍCIAS
Carregando
ARTIGOS
Livremo-nos dos preconceitos e caminhemos juntos!

Neste tempo quaresmal, as palavras do papa nos convocam a este grande retiro de conversão e purificação preparando-nos para o grande renascer da Páscoa. Este foi o pedido feito pelo papa Francisco a todos nos cristãos, especialmente aos cristãos anglicanos reunidos no último domingo de fevereiro, na Igreja Anglicana de All Saints em Roma, pela primeira vez visitada por um pontífice. Indicou três caminhos para a unidade dos cristãos: uma atitude de humildade, oração em comum e ações que testemunhem a misericórdia divina, aprendendo com a diversidade das igrejas jovens do sul global.

"Depois de séculos de desconfiança recíproca, somos agora capazes de reconhecer que a fecunda graça de Cristo está agindo também nos outros", disse papa Francisco. Como em uma grande família, podemos não fazer todas as coisas iguais, mas caminhamos juntos e é nesta caminhada que deve acontecer um ecumenismo concreto, com ações para ajudar este mundo tão cheio de problemas. Agir conjuntamente pelos pobres cria espaço para o Espírito Santo superar as diferenças, na realidade, já é um "sinal forte de comunhão restabelecida".

Nessa histórica visita, respondendo perguntas dos presentes, o papa anunciou que está sendo estudada uma visita humanitária ao sofrido Sudão, em conjunto com o arcebispo de Canterbury, dando o exemplo que os dois chefes das Igrejas podem realizar muitas coisas juntos. Será uma viagem semelhante àquela que fizeram Francisco e o Patriarca ecumênico de Constantinopla, à ilha grega de Lesbos, em 2016, para visitar um campo de refugiados; um dos pontos aonde chegam milhares de migrantes que fogem das guerras, da perseguição, da fome, num verdadeiro ecumenismo de sangue.

"Que os santos de todas as confissões cristãs nos abram a via para percorrer aqui todas as possíveis formas para um caminho cristão fraterno e comum", pediu o papa Francisco, olhando os magníficos vitrais da igreja anglicana de todos os santos. Que eles nos ajudem a superar tantas divisões, preconceitos, muros, cercas que nos separam, esquecendo que "Senhor... nos falas com carinho, ao coração, para nos mostrar que somos povos tão diversos, mas um só Deus nos faz pulsar o coração", como cantamos no hino da Campanha da Fraternidade 2017.

Que a simbologia forte das cinzas colocadas em nossa cabeça, chegue ao nosso coração e não nos deixe esquecer nosso destino comum: de onde viemos e para onde voltaremos. Essa certeza imutável tem o poder de limpar nosso coração de todo mal, preconceito, mágoa, ódio, rancor que nos afastam de Deus. Nascemos nus e voltaremos nus à casa do Pai, na esperança de renascer das cinzas... Nesse breve intervalo de tempo que chamamos Vida, vamos louvar a Deus por tudo que nos deu, pela mãe terra que nos acolhe, nos alegra e nos dá o pão nosso de cada dia. Cultivar, guardar, cuidar bem da criação, de modo especial dos biomas brasileiros, dons de Deus, e promover as relações fraternas com a vida e a cultura dos povos, à luz do Evangelho, objetivo da Campanha da Fraternidade e válido para todas as pessoas, independente de confissão religiosa. Que o Espírito Santo abra o nosso coração neste retiro quaresmal de oração, caridade e humilde busca da Fé!

Março de 2017

Maria Joana Titton Calderari - majocalderari@yahoo.com.br
DIREITOS RESERVADOS - DIOCESE DE CAMPO MOURÃO - 2012
DESENVOLVIDO POR: