REDES SOCIAIS
BUSCA DE NOTÍCIAS
Carregando
ARTIGOS
Graças a Deus, 2017 chegou!

"Graças a Deus" é uma profunda forma de reconhecimento da frágil beleza da vida, e uma confissão de humildade que é, sempre, uma forma dessa mesma beleza. Bom ano pra você" Luiz Felipe Pondé, filósofo, escritor e ensaísta. por Folha de S. Paulo, 02-01-2017.

Se 2016 terminou aos trancos e barrancos, como dizemos no linguajar popular, nos sentimos como que rolando os degraus da escada da vida como foi muito bem ilustrado nas páginas das redes sociais da internet. A virada do ano sempre imprime em nosso coração um sentido de Esperança. E cantamos esperançosos: “Neste ano, quero Paz no meu coração…” e “Adeus ano velho, feliz ano Bom, que tudo se realize…”

Mesmo que os noticiários não nos ajudem a construir esta tão desejada Paz, Esperança, Felicidade, importa continuar buscando com persistência, humildade, sabedoria, intuição das pessoas simples que sabem que não têm o controle da vida, que tudo está nas Suas mãos e só vai acontecer “se Deus quiser”…

Mircea Eliade (1907-1986), grande intelectual romeno, fundador da história comparada das religiões, dizia que uma das raízes das religiões é o "terror da contingência", aquele sentimento ancestral de que o acaso (sinônimo de contingência) domina nossa vida sem dó. As religiões seriam formas de lidar, compreender e dar significado a este sentimento esmagador de que a contingência age o tempo todo sobre nós.

Crentes ou não, seja lá qual for a nossa religião, filosofia de vida, no profundo do nosso coração sabemos que nunca teremos controle absoluto sobre as variáveis em jogo na vida de cada um de nós. Nem o ser humano mais poderoso, mais rico pode escapar do destino comum a todos nós: a morte. Diante da “indesejada das gentes” somos todos iguais e não há dinheiro que nos faça escapar deste derradeiro tribunal.

Não adianta ”correr contra o tempo para ter sempre mais porque quando menos se espera a vida já ficou pra trás”, nos diz Ana Vilela na música Trem-Bala. E nos pede gentilmente para fazer o que importa enquanto estamos aqui “Segura teu filho no colo, sorria e abraça teus pais enquanto estão aqui, que a vida é trem-bala, parceiro, e a gente é só passageiro prestes a partir.”

Todos somos apenas passageiros no trem da vida. Os corruptos e corruptores que saqueram nosso pais podem escapar dos tribunais humanos, políticos, mas um dia acertarão suas contas… Nestes tempos difíceis, nebulosos em que vivemos, parece até que roubaram até o túnel do Brasil, ou que fomos atropelados pelo trem que vinha em sentido contrário de modo que parece impossível enxergar a luz no fim da linha. Mas,“embora seja noite, a aurora está próxima”, nos alenta o teólogo espanhol José Maria Vigil.

De escândalo em escândalo fomos descobrindo para onde vai o suado dinheiro que pagamos com os cinco meses de trabalho que usamos para pagar os nossos impostos e que nunca chegam para a saúde, educação, segurança, estradas, infra-estrutura... E angustiados nos perguntamos: Onde firmar o nosso “pendão da esperança”?

“Se pode cometer todos os pecados, porque todos os pecados têm redenção, todos, exceto um: não se pode pecar contra a esperança", lembra Eduardo Galeano. Buscar sinais de ESPERANÇA em meio a tanta desesperança, ver além da realidade dura, das crises que se sucedem, acreditando na força da Fé e na presença de Deus que caminha conosco iluminando a nossa história é algo que tento fazer mesmo quando reflito sobre os problemas do nosso tempo.

Que saibamos ouvir a voz de Deus que nos fala através da nossa intuição-coração e encontrar um sentido de Esperança mesmo diante de cada problema. Que possamos ver mais longe os erros e acertos de nossa realidade, agindo para consertar o que está errado, sem perder a Esperança, com a GRAÇA DE DEUS E A LUZ DO ESPÍRITO SANTO. Um abençoado 2017 a todos!

Maria Joana Titton Calderari - majocalderari@yahoo.com.br
DIREITOS RESERVADOS - DIOCESE DE CAMPO MOURÃO - 2012
DESENVOLVIDO POR: