REDES SOCIAIS
BUSCA DE NOTÍCIAS
Carregando
ARTIGOS
Santa Missa passo a passo: Liturgia da Palavra I

Estimados irmãs e irmãos, prosseguindo nossa reflexão acerca da Liturgia da Missa, adentremos na Liturgia da Palavra. Na celebração da Santa Missa estamos diante de duas mesas: da Palavra e da Eucaristia, que formam entre si uma unicidade.

O Concílio Vaticano II buscou ouvir religiosamente a Palavra de Deus nas palavras de São João: “anunciamos-vos a vida eterna, que estava junto do Pai e nos apareceu: anunciamos-vos o que vimos e ouvimos, para que também vós vivais em comunhão conosco, e a nossa comunhão seja com o Pai e com o seu Filho Jesus Cristo” (1Jo 1, 2-3). Com isso a mesa da Palavra torna-se um diálogo vivo e eficaz – Deus fala ao homem e este o escuta. Esta proximidade de Deus é explicada a partir da natureza e revelação que está expresso no documento Conciliar Dei Verbum, onde afirma que: “Aprouve a Deus na sua bondade e sabedoria, revelar-se a Si mesmo e dar a conhecer o mistério da sua vontade (cf. Ef 1,9), segundo o qual os homens, por meio de Cristo, Verbo encarnado, têm acesso ao Pai no Espírito Santo e se tornam participantes da natureza divina (cf. Ef 2,18; 2Pd 1,4). Em virtude desta revelação, Deus invisível (cf. Cl 1,15; 1Tm 1,17), na riqueza do seu amor fala aos homens como amigos (cf. Ex 33, 11; Jo 15,14-15) e convive com eles (cf. Br 3,38), para os convidar e admitir à comunhão com Ele” (DV, 2). Esta comunhão se dá na união das duas mesas; expressando seu amor, dá ao homem a salvação, mostrando o caminho da plena felicidade.

A Instrução Geral do Missal Romano (IGMR), apresenta a Liturgia da Palavra como constituída pelas leituras da Sagrada Escritura, com seus cantos intercalados. Tendo como conclusão a homilia, a profissão de fé e a oração universal (n.55). Pelas leituras Deus fala ao povo, “revela-lhe o mistério da redenção e salvação e oferece-lhe o alimento espiritual”. Cristo se faz presença em meio aos fiéis.

É um caminho belo que a Liturgia da Palavra nos oferece; o povo, tomando para si as palavras de Cristo, dá seu “sim” por meio da Profissão de Fé. Mas tudo isso é envolvido por um sentimento que brota do silêncio interior que cada fiel constrói dentro de si, por isso que o silêncio na Liturgia da Palavra é de suma importância pois favorece a meditação. A pressa e o barulho demasiado impedem o recolhimento, prejudicando assim o caminho rumo à comunhão plena com Cristo que parte da mesa da Palavra e é levada até a mesa da Eucaristia. Por isso que “o conhecimento e o estudo da Palavra de Deus permitem-nos valorizar, celebrar e viver melhor a Eucaristia; também aqui se mostra em toda a sua verdade a conhecida asserção: ‘A ignorância da Escritura é a ignorância de Cristo’” (Sacramentum Caritatis, 45).

Busquemos, pois, viver a experiência da Palavra de Deus em nossa vida.

Seminarista Wesley de Almeida dos Santos - wesley-almeidacm@hotmail.com
DIREITOS RESERVADOS - DIOCESE DE CAMPO MOURÃO - 2012
DESENVOLVIDO POR: