REDES SOCIAIS
BUSCA DE NOTÍCIAS
Carregando
ARTIGOS
Ação evangelizadora

Outubro é o mês referencial para realizarmos nossas assembleias decanais. Elas serão oportunidade para olharmos nossa organização e trabalho pastoral no decanato. Utilizaremos informações positivas e os vazios, gritos comuns que colhemos a partir de nossas assembleias paroquiais. Para a assembleia decanal a pauta seguirá o mesmo método que temos proposto na assembleia paroquial, ou seja, o método do Ver, Julgar e Agir, utilizando os passos do Planejamento Participativo Pastoral (PPP). Este instrumento de trabalho parte de um olhar cheio de fé, e busca dar uma resposta consciente e planejada às nossas ações pastorais. É desafiante porque temos que parar, refletir, falar de nós, ouvir os outros, aprender a decidir, planejar e executar juntos, o que, infelizmente não estamos muito acostumados a fazer e nos incomoda fazê-lo. O papa Francisco nos convida a vencer o clericalismo e vivenciarmos uma Igreja em que todos os batizados sejam atores conscientes da evangelização, vivendo uma Igreja Povo de Deus. Nossa proposta visa gerar vida, mesmo que em dores de parto.

“O projeto pastoral da diocese, caminho de pastoral orgânica, deve ser uma resposta consciente e eficaz para atender as exigências do mundo de hoje com “indicações programáticas concretas, objetivos e métodos de trabalho, de formação e valorização dos agentes e da procura dos meios necessários que permitam que o anúncio de Cristo chegue às pessoas, modele as comunidades e incida profundamente na sociedade e na cultura mediante o testemunho dos valores evangélicos”210. Os leigos devem participar do discernimento, da tomada de decisões, do planejamento e da execução 211. Este projeto diocesano exige um acompanhamento constante por parte do bispo, dos sacerdotes e dos agentes pastorais, com uma atitude flexível que lhes permita se manter atentos às exigências da realidade sempre mutável” (Documento de Aparecida 371).

Outubro de 2016

Pe. Gaspar Gonçalves da Silva - gaspar-silva@uol.com.br
DIREITOS RESERVADOS - DIOCESE DE CAMPO MOURÃO - 2012
DESENVOLVIDO POR: